Fim de Semana Literário: Chá das 5 Bruno Martins


A partir deste mês o Folhetim Cultural nos fins de semana será dedicado a literatura com postagens de vários autores convidados. Aos sábados em duas edições o Chá das 5 ás 5 da manhã e ás 17 horas. É uma das nossas atrações.

Bruno Martins irá participar no Chá das 5 sempre após o sábado de participação da Carolina Pinheiro Lomba.

Participe desta iniciativa enviando seus textos para publicarmos: folhetimcultural@hotmail.com






Bruno Martins é radialista formado pelo SENAC. Estuda jornalismo e trabalha num jornal local da cidade de Santa Isabel criou com Magno Oliveira o Blog Folhetim Cultural em 2010. Colabora com o Folhetim com suas crônicas mensalmente.





Confesso a você não lembrar o dia em que eu vi o Corinthians ganhar o mundial da Fifa em 2000 em pleno Maracanã, sei pelo que contam que foi a segunda maior invasão corintiana da história, a primeira foi 24 anos antes em 1976, também no Maracanã.


Bem eu posso até não ter visto ou não me lembrar daquela partida que levou o time do parque são Jorge ao topo do mundo e ao delírio de toda uma nação, mas ainda bem que o passado vira história, ficando registrado, podendo um dia ser lido por alguns e contado pra muitos.


O Corinthians de 2000 foi empurrado por cerca de 20 mil corintianos que viajaram de São Paulo ao Rio de Janeiro numa viagem de seis horas para dar apoio ao Rincón, Fernando Baiano, Marcelinho, Luizão, Edu e companhia. Os guerreiros estavam em campo naquela partida que terminou do jeito que a Fiel gosta “nos pênaltis” 4x3 Timão. Marcelinho poderia ter sido considerado o carrasco, pois chutou nas mãos de Jéfferson a bola do título, porém a responsabilidade caiu toda sobre Edmundo, que poderia ter sido o herói de uma nação vascaína partiu, bateu... errou. O mundo para o Vasco acabou nos pés de Edmundo e começou para o Corinthians.

Hoje 12 anos depois o feito se repete, uma nova invasão ainda maior que a de 2000 entra para a história do futebol mundial, dessa vez a torcida foi para o outro lado do mundo em Yokohama no Japão ver o time do Parque são Jorge vencer o favorito Chelsea até então o atual campeão Europeu. Trinta mil torcedores foi um Pacaembu inteiro para o Japão, o décimo segundo jogador de um time que parou o Brasil e o mundo era um torcedor louco, fanático, que vendeu a casa, o carro, gastou o dinheiro do casamento, perdeu a mulher, o sonho de ter uma família para ganhar o mundo com o Timão. A estes torcedores meus sinceros parabéns.


Dessa vez os guerreiros não eram os mesmos de 2000, o elenco se renovou. O time caiu em 2007 para a série B, mas voltou com honras de campeão (Brasileiro da série B) em 2008, conquistou o Paulista e a Copa do Brasil de 2009 com o fenômeno Ronaldo no ataque, em 2010 amargou o centenário sem erguer uma taça se quer, já em 2011 conquistou o Brasil e se consagrou pentacampeão brasileiro e em 2012 conquistou pela primeira vez a América, com honras de campeão invicto da Libertadores e não satisfeito conquista o mundo pela segunda vez.  Alessandro, Chicão, Douglas e Julio Cesar que ergueram a taça da serie B em 2008, provaram que um time não é feito de títulos e que pra tudo existe um tempo certo, por isso ontem estavam em Yokohama vibrando junto com os demais.

Brasileiros guerreiros, que defenderam e atacaram, um Peruano de nome Guerrero que estava sozinho no lugar certo, na hora certa e com o seu cabelo moicano e como uma tatuagem estranha atrás da orelha fez de cabeça os dois gols do Corinthians no mundial. Bem demos honra a quem teve honra a camisa, Cássio que certamente tinha 14 anos em 2000, viu Dida brilhar pegando pênaltis e TUDO no Maracanã, ontem brilhou pegando apenas TUDO. Por isso com honras foi eleito o melhor jogador do mundial. Se não me engano só Rogério Ceni (em 2005) e ele como goleiros conseguiram esse feito.


É posso não me lembrar desse título de 2000, mas não vou me esquecer nunca dessa manhã de dezembro de 2012. Este é o Esporte Clube Corinthians Paulista que saiu do terrão de Itaquera, conquistou o mundo e levou a favela para o Japão.

Bruno Martins
17 de dezembro de 2012 às 22h15


Fim de Semana Literário Sábado

Chá das 5: 5 e 17 horas
No Café da Manhã com Poesia por Magno Oliveira 7 horas da Manhã
Devaneios do Ranzinza por Roberto Prado 10 da Manhã
Poesia de Beto Ribeiro 15 horas
Poesia de David White 19 horas
12 horas e 21 horas espaço dedicado ao leitor envie seu texto para que ele seja publicado.
Nosso contato: folhetimcultural@hotmail.com

Fim de Semana Literário Domingo

Chá das 5 dominical: 5 e 17 horas
No Café da Manhã com Poesia por Magno Oliveira 7 horas da Manhã
Literatura Nossa homenagem a um grande escritor por Dhyne Paiva ás 10 da manhã
Prosa Literária Magno Oliveira entrevista um convidado especial 19 horas.
12 horas e 21 horas horário reservado para a sua participação envie seu texto para que ele seja publicado.

Nosso contato: folhetimcultural@hotmail.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo

Shows do Sampa Crew e Gabriel Corrêa fecham programação do aniversário de Poá

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”