Semana Roberto Prado: Chá das 5: Ode aos nossos amigos

Nesta primeira semana de Dezembro o Blog Folhetim Cultural está fazendo uma justa homenagem a este escritor da baixada santista. Roberto Prado colabora com o Folhetim Cultural desde o início deste ano com duas colunas Devaneios do Ranzinza aos sábados e terças feiras e o Chá das 5 uma vez ao mês no sábado e quinta feira. Roberto Prado já publicou dois livros pela (CBJE) Câmara Brasileira de Jovens Escritores.



Ode aos nossos amigos


(Ah! Esses grandes afortunados!)
Aos amigos que nos suportam
(Como uma cruz às suas costas, é bem verdade)
Que (às vezes) conosco se importam
A esses amigos que atormentamos
Quer com nossa fácil presença
(que é fácil de se livrarem)
Quer com nossas constantes homenagens
Sempre muito bem humoradas
(segundo nosso afiado senso de humor)
Aos nossos amigos
Que teimam em nos convidar
Às suas casas
Que nos recebem, sempre
Com mesa farta
Copos cheios
Resignação infinita
Fleuma britânica
E sorrisos sinceros
(e às vezes amarelos, é verdade)
Abraços fortes
(que pensamos serem os últimos nessa vida, tamanha falta de ar nos dá)
A vocês que teimam em continuarem nossos amigos
Das horas incertas, e às vezes bem altas...
A vocês nossos amigos, que
Na falta de uma palavra doce como o mel
Suaves como as nuvens que passam pelo céu azul
Leves como a brisa perfumada que balança as cortinas de vosso lar
Delicadas como a seda
Carinhosas como as de um gato gordo e velho
(quem já teve um sabe o que digo)
A vocês queridos e fraternos amigos
Mais fiéis que aqueles que possuem o mesmo sangue
O temos a lhes oferecer em troca de tanta afeição?
- Sim. As nossas bandalheiras!
Feitas da mais verde bílis que corre em nossas veias
(que alguns incautos, pensam ser sangue azul)
Mas saibam que nada em nós é mais sincero
Que o doce sentimento que temos por vocês
Mesmo quando todos a sua volta riem nossas piadas
(Sobre vocês, doces irmãos)
Mesmo quando, por um átimo, lhes passa pela cabeça um relâmpago homicida.
Mesmo quando vocês se arrependem de terem retirado os cacos de vidro da sobremesa na última hora.
Ou se perguntam por que atenderam a porta.
Lembrem-se, essa é a nossa forma de dizer o quanto amamos vocês.
Sim, triste é o vosso infortúnio, é fato!
Mas pensem bem:
- É, ainda, melhor nos terem como amigos, que como inimigos...

Comentários

  1. Antenor Antunes Neto9 de dezembro de 2011 21:44

    Que beleza de declaração de amor aos amigos.

    ResponderExcluir
  2. Deixo o convite para conhecer meu blog de medicina: http://gislenegr.blogspot.com/

    Muita paz, sempre!

    Gislene.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por interagir conosco!

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo

Shows do Sampa Crew e Gabriel Corrêa fecham programação do aniversário de Poá