Semana Regina Azevedo: Chá das 5: Lamento


Regina Célia Azevedo contribui com o Folhetim Cultural desde o início do ano  com seus ótimos  textos e por isso nessa segunda semana de Dezembro o Folhetim Cultural faz esta justa homenagem.


Lamento

Cai tenebrosa a escuridão sobre a terra em que piso.
À frente nada vejo, se não névoas curvas.
O corpo não cansa, não pára.
O sono não vem, nem após os soníferos...
Sem tropeços, caminho em estradas turvas.
Mantenho-me de pé sem temer a cegueira.
Tenho a escuridão como companheira.
A dor dilacerando o ventre, não me chega ao coração.
Prolongando ainda mais meu sofrimento, me tornando imortal.
Noite... E depois noite... E noite de novo...
Porque não há mais dias, nem sóis, nem luz.
A alma pesada, o espírito gemendo...
A mente agitada, um barulho infernal!
O ventre dilacerado... A dor corroendo o âmago.
Meu corpo todo está doendo...
Minh'alma está doendo...
Doendo...
Doendo...

Regina Azevedo.

Comentários

  1. visito, sin entender mucho, pero con emoción, que esa se entiende, se comprende

    desde México, donde, por lo menos para mi, por ejemplo, sé algo de Maria Rita

    y duelen, por ejemplo, las pérdidas recientes del bailarín, coreógrafo, Michel Descombey y de la actriz Julia Marichal en circunsancias tortuosas que pudieran caber en un folletín de la cultura chilanga (neta, de la capital del país)

    Regina Azevedo, un regalo, aunque sea sólo en la cadencia

    Gracias

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por interagir conosco!

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

REUNIÃO DO CONSELHO DE CULTURA DE POÁ SERÁ DIA 19

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo