Semana Ailton Sales: Chá das 5: Mulher



Sou mineiro, nascido na cidade de Poços de Caldas no dia primeiro de março de 1934. Fui engraxate, entregador de loja, cobrador de ônibus (interurbano) e tive o meu primeiro registro em carteira como mensageiro no Palace Hotel saindo depois aos vinte anos já com a profissão de garçom. Hoje escrevo uma vez ao mês ao Folhetim Cultural aqui no Chá das 5.

Nesta semana o Folhetim Cultural homenageia o trovador Ailton Sales.








Mulher
Meio século passado
Tantos anos sem lhe ver
Vivo com outra ao meu lado
Mas não posso lhe esquecer

Os seus cabelos dourados
Soltos ao vento querida
Raios de sol aquecendo
Os dias da minha vida

Seus lindos olhos brilhando
Verde cor da esmeralda
Dois faróis iluminando
Esse seu rosto de fada

Sua boca seu sorriso
Lábios doces como mel
Transportam-me ao paraíso
Abrem as portas do céu

Seu corpo uma perfeição
E os seus pés ao caminhar
Lembram o que diz a canção
Parecem rosas pisar

A mulher que descrevi
Não é uma ficção
É aquela que nunca esqueci
Que vive no meu coração

Comentários

  1. Que en esta gran fiesta cristiana en la que celebramos el nacimiento de nuestro señor Jesus, la estrella de la Navidad ilumine sus caminos y con fe logren que todos sus anhelos y deseos se cumplan y que el proximo año les depare muchas alegrias, union y properidad.

    !!Felices Fiestas!!

    ResponderExcluir
  2. Fantástico!

    A mulher merece um poema assim.

    Parabéns!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por interagir conosco!

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo

Shows do Sampa Crew e Gabriel Corrêa fecham programação do aniversário de Poá