Especial dia da não violência: No Café da Manhã com Poesia: Violência e Guerra


Dando continuidade ao especial dia da não violência hoje trazemos mais dois textos produzidos ao longo de 7 anos que Magno Oliveira escreveu abordando o tema o poeta traz com mestria e simplicidade este tema que assola o país e que com certeza será motivo de preocupação de nossos políticos nos próximos anos e tema de discussão nas eleições que se aproximam.


Twitter Folhetim: http://twitter.com/#!/FolhetimCultura
Twitter de Magno Oliveira: http://twitter.com/#!/oliveirasmagno
Facebook de Magno Oliveira: http://www.facebook.com/oliveira.m.silva
Página no Facebook do Folhetim: http://www.facebook.com/pages/Folhetim-Cultural/306412726048485?sk=wall 


Violência


Nas favelas, nas praias, nos cerrados;
Eu ouço disparos para todos os lados,
Correria, gritos e desespero.
Muito medo
Pela tarde, manhã e cedo.
Muita violência, violência sem exagero.
Não é só no Rio de Janeiro
É no país inteiro
É de dezembro a fevereiro.


Guerra



Eu vejo flores mortas caídas pelo jardim
Eu vejo a rosa, a margarida e a jasmim.
Eu tenho medo dos ataques nucleares
Dos ataques pelo chão
Dos ataques pelo ar e pelos mares.
Eu vejo o homem se destruindo em vão
Sem razão
Sem motivo
Eu não me vejo vivo
No dia do juízo final
No dia do confronto final
Na guerra entre o bem e o mal
Eu vou estar morto
Ou não vou estar, livre, leve e solto.
Eu vejo o vinho vermelho pintando o mundo
Eu não vejo o futuro com o que eu ouço falar
Eu vejo o futuro se repetindo quando o homem voltar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo

Shows do Sampa Crew e Gabriel Corrêa fecham programação do aniversário de Poá