ETNOdoc | CineCAL Janeiro 2014

CineCAL exibe em janeiro filmes voltados para a preservação do patrimônio cultural imaterial

A partir de 02 de janeiro, o Cinema da Casa da Cultura da América Latina (CineCAL) exibe cerca de 31 documentários,  de média duração, que fazem parte do projeto Sensibilização e orientação para salvaguarda do patrimônio cultural imaterial, o ETNOdoc, criado a partir de um grupo de trabalho composto por especialistas do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular e do Departamento de Patrimônio Imaterial, do Iphan. Coube à Associação Cultural de Amigos do Museu de Folclore Edison Carneiro a gestão do projeto, patrocinado pela Petrobras.


Voltados para exibição em redes públicas de TV, o ETNOdoc destina-se a apoiar 15 projetos inéditos de documentários etnográficos. Busca, com isso, somar esforços e ampliar as ações voltadas para a valorização e promoção dessa dimensão do patrimônio cultural, assim como estimular iniciativas voltadas para a melhoria das condições de transmissão, produção e reprodução dos bens culturais que compõem esse universo.
Coordenada por Euler Fabiano, a mostra do ETNOdoc no CineCAL, no Setor Comercial Sul,  será sempre às terças e quintas-feiras, às 12h30 e 1830, com entrada franca. Todos os curtas são brasileiros, possuem classificação indicativa livre e tempo de duração de aproximadamente 26 minutos.
Serviço:


CineCAL mostra ETNOdoc
Local: Auditório Gonzaguinha (Térreo) – SCS Quadra 4, Edifício Anápolis. Telefone: 61 3321.5811
Programação completa: www.casadacultura.unb.br
Dias e Horários: De 02 a 30 de janeiro de 2014 às terças e quintas-feiras sempre às 12h30 e 18h30.
Entrada franca
Realização: CAL/DEX/UnB

Fonte: www.casadacultura.unb.com.br
Postagem: Magno Oliveira

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

REUNIÃO DO CONSELHO DE CULTURA DE POÁ SERÁ DIA 19

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo