Devaneios do Ranzinza por Roberto Prado: A bela arte de ser pessimista


Roberto Prado colabora com o Folhetim Cultural desde o início de 2011, Devaneios do Ranzinza aos sábados ás 21 horas e o Chá das 5 uma vez ao mês no sábado. Roberto Prado já publicou dois livros pela (CBJE) Câmara Brasileira de Jovens Escritores, Gringas e Outras Histórias está na segunda edição.





Devaneios do Ranzinza sábados 21 horas

Chá das 5 sábados 17 horas


Folhetim Cultural no Twitter



A BELA ARTE DE SER PESSIMISTA


Ser pessimista
É nunca ser pego de surpresa
Ser pessimista
É nunca querer chegar mais cedo
Afinal alguém já passou a noite na sua frente
Ser pessimista é
Não sofrer,
Afinal você não estava esperando nada mesmo
Tava na cara que aquilo ia dar errado
Ser pessimista
Tem seu charme, seu encanto
Aquele olhar vago
Aquela postura de quem não está nem aí com nada
Ah!
Ser pessimista é uma espécie de antibiótico
Contra o otimismo vazio e inconseqüente
Daquela postura “Poliana” de ser
Dos que dizem bom dia, quando está chovendo
Que quando você espirra dizem:

- Saúde!

Ser pessimista e saber que no fim
A única coisa certa é o fim
Ser pessimista
É não abrir com sofreguidão o hollerith
Afinal ele vai ser igual ao mês passado
Ser pessimista
É olhar para o céu claro e ensolarado
E ter certeza que no sábado chove
(e o diabo é que chove mesmo)
Ser pessimista
É ter prazer em argumentar com evangélicos
(Tentem)
Ser pessimista
É ter certeza que ninguém me lerá.
Ser pessimista
É ter medo de ficar prá semente...

Roberto Prado

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo

Shows do Sampa Crew e Gabriel Corrêa fecham programação do aniversário de Poá