Direto do Baú do Raul: Maluco Beleza


Neste sábado tirando do baú do Raul Seixas Maluco Beleza!







Maluco Beleza é uma canção do cantor e compositor baiano Raul Seixas, inspirada na canção Aline, de Christophe. Também virou um outro nome popular do cantor.

É composta por Raul Seixas e Claudio Roberto, faz parte do LP O dia em que a Terra Parou.

Letra

Maluco Beleza

Raul Seixas

Enquanto você
Se esforça pra ser
Um sujeito normal
E fazer tudo igual...

Eu do meu lado
Aprendendo a ser louco
Maluco total
Na loucura real...

Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez...

Vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza...

E esse caminho
Que eu mesmo escolhi
É tão fácil seguir
Por não ter onde ir...

Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez
Eeeeeeeeuu!...
Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez

Vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com toda certeza
Maluco, maluco beleza...

Aline - Christophe



Letra de Aline - Christophe

J'avais dessiné sur le sable
Son doux visage qui me souriait
Puis il a plu sur cette plage
Dans cet orage, elle a disparu

Et j'ai crié, crié, Aline, pour qu'elle revienne
Et j'ai pleuré, pleuré, oh! j'avais trop de peine

Je me suis assis près de son âme
Mais la belle dame s'était enfuie
Je l'ai cherchée sans plus y croire
Et sans un espoir, pour me guider

Et j'ai crié, crié, Aline, pour qu'elle revienne
Et j'ai pleuré, pleuré, oh! j'avais trop de peine

Je n'ai gardé que ce doux visage
Comme une épave sur le sable mouillé

Et j'ai crié, crié, Aline, pour qu'elle revienne
Et j'ai pleuré, pleuré, oh! j'avais trop de peine

Et j'ai crié, crié, Aline, pour qu'elle revienne
Et j'ai pleuré, pleuré, oh! j'avais trop de peine..

Tradução em Português

Eu desenhei sobre a areia
Seu suave rosto que me sorria
Depois choveu sobre essa praia
Nessa tempestade, ela desapareceu



E eu gritei, gritei, Aline, para que ela voltasse
Eu chorei, chorei, oh! eu sentia muita dor



Eu me sentei perto da sua alma
Mas a bela senhora fugiu
Eu a procurei sem mais acreditar
E sem esperança para me guiar



Eu gritei, gritei, Aline, para que ela voltasse
Eu chorei, chorei, oh! eu sentia muita dor



Eu guardei apenas esse suave rosto
Como um farrapo sobre a areia molhada



Eu gritei, gritei, Aline, para que ela voltasse)
Eu chorei, chorei, oh! eu sentia muita dor



Eu gritei, gritei, Aline, para que ela voltasse
Eu chorei, chorei, oh! eu sentia muita dor...

Letras retiradas e tradução: http://letras.terra.com.br
Vídeos: Youtube
Fonte: Wikipédia
Amanhã No Café da Manhã com Poesia coluna poética de Magno Oliveira ás 06 horas da manhã.

Produzido por Magno Oliveira

Siga Magno Oliveira no Twitter: http://twitter.com/#!/oliveirasmagno

Facebook de Magno Oliveira: http://www.facebook.com/oliveira.m.silva


Twitter Folhetim Cultural: http://twitter.com/#!/FolhetimCultura

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo

Shows do Sampa Crew e Gabriel Corrêa fecham programação do aniversário de Poá