PEQUENA ODE AO MEU CIGARRO por Roberto Prado


PEQUENA ODE AO MEU CIGARRO

Sou só
Vivo só
Ando só
E tenho só
E somente
Por companhia nessa
Solidão o meu cigarro
Ele me acompanha
Pelas ruas
Ele está comigo quando reflito
Sobre a minha condição
(ou seria minha solidão?)
Ele é o meu bom dia
E minha boa noite
Ele seca minhas lágrimas
E encobre meus soluços
Ele não me cobra nada
Nada exige
Não me confronta
Ele está aqui disponível
Bem no bolso da camisa
Sobre meu coração
Estou conformado e sei que
Minha solidão há de me matar
Antes da fumaça de meu cigarro...

Roberto Prado

Comentários

Postar um comentário

Obrigado por interagir conosco!

Postagens mais visitadas deste blog

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo

Shows do Sampa Crew e Gabriel Corrêa fecham programação do aniversário de Poá

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”