Magno Oliveira entrevista o percussionista DaLua

Trago para vocês leitores do Folhetim Cultural esta entrevista realizada via e-mail com o DaLua. Percussionista reconhecido pela originalidade de sua música, Dalua, que em vinte anos de carreira acompanhou artistas como Lenine, Ana Carolina, Maria Rita, Jair Rodrigues, e Arnaldo Antunes, criou o LADODALUA em 2008 que reúne músicos de primeira.
Prestes a lançar seu primeiro CD LADODALUA está fazendo apresentações pelo Brasil dia 13 na Mansão Kauffman Casa de Shows da cidade de Santo André ABC Paulista. No dia 28 de Setembro irá fazer uma apresentação no teatro de Santo André.


O Percussionista Da Lua



Entre em contato com o Folhetim Cultural: folhetimcultural@hotmail.com

Magno Oliveira: O que o levou há depois de tantos anos de carreira criar o LADODALUA?

DaLua: Em primeiro lugar, poder expressar livremente a minha música ao lado de pessoas que escolhi para o grupo. A busca de uma sonoridade percussiva que pudesse     transitar em quaisquer outras vertentes, mas deixando sempre a percussão como protagonista. Sem dúvida tudo isso se deu após todos esses anos de carreira, tocando e convivendo com excelentes artistas e produtores que muito me ensinaram nessa trajetória.

Magno Oliveira: O que o público pode esperar deste primeiro CD? 

DaLua: Em primeiro lugar, um som diferente, Brasileiro e de muita personalidade, pois não conheço nenhum grupo no mundo que tenha essa formação , Cavaquinho, Baixo, Guitarra, Trombone de Vara e Percussão e voz. Além disso tivemos as brilhantes participações de Patricia Cano (  cantora Canadense) e do Trompetista e cantor de New Orleans, Shamarr Allen.  Daí em diante, é o povo que vai dizer....

Magno Oliveira: O trabalho de misturar ritmos como rock, jazz e samba recebe algum tipo de preconceito por parte de músicos e/ou público?

DaLua: Acredito que não...experimentamos muito isso, e sempre vejo no público de nossos shows uma aceitação muito grande com nossas misturas . Além disso, o público que já conhece meu trabalho de antes do Ladodalua, já sabe que eu sempre fiz isso no trabalho de outros artistas, explorando sonoridades diversas e livre de qualquer barreira ou preconceito.

Magno Oliveira: Da Lua entre os artistas que trabalhou qual você se inspira?

DaLua: Todos os artistas que trabalhei, me inspiraram e me influenciaram  em alguma coisa...Mas inegavelmente Lenine e Novos Baianos marcaram a minha vida.

Magno Oliveira: Acredita que a música é um instrumento de transformação e por quê?

 DaLua:  Sem dúvida nenhuma...sou também prova disso. Através da Capoeira,  descobri a música e a percussão que vem transformando minha vida  desde os meus seis anos de  idade até hoje. A música  é transformadora sim, abrindo um universo inesgotável de possibilidades e caminhos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

REUNIÃO DO CONSELHO DE CULTURA DE POÁ SERÁ DIA 19

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo