ORQUESTRA KLANGVERWALTUNG DE MUNIQUE


Sábado, dia 29 de setembro, tem a apresentação da Orquestra KlangVerwaltung de Munique, às 20h no Teatro do Sesc Santos.


A Orquestra KlangVerwaltung foi fundada em 1997 pelos violinistas Andreas Reiner e Josef Kröner. O objetivo principal da orquestra era e ainda é a concretização dos extraordinários conceitos musicais do regente titular Enoch zu Guttenberg.


Embora o foco do público estivesse inicialmente voltado para o nome incomum (KlangVerwaltung significa literalmente administração do som), atuando como responsáveis servidores das grandes obras-primas e seus criadores, logo ficou evidente que uma nova orquestra de elite havia tomado conta do cenário, historicamente informado, do início do período Barroco até o século XX.

Twitter do Folhetim Cultural

Graças à excelente técnica e interação da música de câmara e da orquestra, habilidades extraordinárias dos solistas, um som incrivelmente colorido e um habitus excepcionalmente dedicado e vibrante, o grupo vem recebendo críticas brilhantes, além da simpatia do público.

Para cada projeto, uma base constante de músicos se reúne com o intuito de revisar seu considerável repertório, além de trabalhar em novas partituras. 

Seu estilo de ensaio lembra a um workshop, que permite ao regente e aos músicos estarem igualmente envolvidos num processo de revitalização da composição musical, garantindo uma experiência musical vibrante, intensa e arrebatadora, tornando uma experiência musical única, devido à qualidade do grupo.

Os membros da KlangVerwaltung são provenientes das principais orquestras, tais como a Filarmônica de Viena, a de Berlim e de Munique, e também solistas e músicos de câmara internacionalmente renomados. Sua excepcional experiência sonora tem o apoio do uso de instrumentos primorosos com a assinatura de Stradivari, Guarneri, Amati, Guadagnini, Gofriller e outros mestres famosos.

Além da programação regular de concertos, o grupo se apresentou em locais importantes como na Filarmônica de Munique e Berlim, na Golden Hall da Musikverein em Viena, Concertgebouw em Amsterdã, no Vaticano, no Alte Oper em Frankfurt, no Festspielhaus em Baden-Baden, em Rheingau Festival, em Beethoven Fest em Bonn, na Semana Europeia e no Festival de Herrenchiemsee, onde a KlangVerwaltung é a orquestra residente durante as temporadas de verão. O grupo realizou turnês na Inglaterra, França, Itália, Espanha, Estados Unidos e China, onde conquistaram enorme sucesso.

Enoch zu Guttenberg (Regente)

Enoch zu Guttenberg sempre atuou com convicção e frequentemente nadou contra a maré ao invés de seguir a correnteza. Sendo um dos mais notáveis regentes do nosso tempo, vem explorando a música de uma forma que toca profundamente seu público e críticos, ao mesmo tempo que vem firmando sua reputação internacional. Como sinfonista e intérprete de grandes obras sacras, suas performances tem alcançado altos padrões tanto em sua própria carreira quanto nas principais salas de concerto internacionais.

Além de seus compromissos como regente convidado (por exemplo, como regente convidado principal da orquestra MDR Leipzig ou da orquestra sinfônica NDR de Hamburgo, Saarbruecken Radio Symphony, Deutsche Oper am Rhein, Nouvelle Orchestre Philharmonique de Paris e de muitas outras orquestras nacionais e internacionais), ele tem particularmente estabelecido um estreito relacionamento com dois grupos, concretizando suas idéias artísticas e abordagens filosóficas musicais, segundo suas próprias palavras: "com 100% de dedicação junto a mim mesmo", foi nomeado diretor artístico da KlangVerwaltung Orchestra em 1997 e assumiu a direção do coro Chorgemeinschaft Neubeuern em 1967.

Para Enoch zu Guttenberg e seus grupos, a simbiose do profundo conhecimento sobre a prática de uma específica performance histórica, o total e obrigatório foco no conteúdo e no crescimento emocional a partir dessa simbiose são os três pilares centrais de suas interpretações. Isto se aplica a todas as obras significativas do Barroco, do Classicismo Vienense, do Romantismo, do período romântico final, e às composições do século XX. Assim lê-se a crença do compositor: "Você deve ter responsabilidade existencial em tudo o que você faz". As respostas para questões não resolvidas no mundo que Guttenberg procura e encontra na música são por vezes radicais e já criaram divergências entre especialistas mais de uma vez, e são admiradas por fãs entusiasmados em todo o mundo.

Em 2000, Enoch zu Guttenberg foi nomeado diretor artístico do Festival Internacional de Herrenchiemsee. Em colaboração com o dramaturgo Klaus J. Schönmetzler, Guttenberg criou um conceito único, que além de se beneficiar de sua personalidade e crenças, é também responsável pela história excepcional do local. Embora a música tenha sido sempre o objeto de sua dedicação e criatividade, Guttenberg sempre foi receptivo ao mundo ao seu redor. Mesmo sendo um insistente admoestador e visionário nas questões ambientais, bem como um promotor de sucesso na estreita cooperação cultural entre o Oriente e Ocidente - devido à sua experiência (formação), a combinação do compromisso artístico e político sempre foi uma obrigação para Enoch zu Guttenberg.

Ao longo dos anos, Guttenberg recebeu vários prêmios, incluindo o Deutcher Kulturpreis (Prêmio Cultural Alemão) e o Bundesverdienstkreuz (Ordem do Mérito, 1ª classe, da República Federal da Alemanha). Sua obra musical tem sido documentada em vários programas de rádio e televisão e em gravações de CD.

Em 2008, Enoch zu Guttenberg recebeu um prêmio notável: pela gravação da Sinfonia nº 4 de Anton Bruckner em E bemol maior, "Romantic", ele recebeu, em colaboração com a KlangVerwaltung Orchestra, o cobiçado prêmio musical ECHO Klassik 2008 na categoria 9, "Gravação Sinfônica do Ano", música do século XIX.

Em 2009, Guttenberg e seus grupos, a orquestra KlangVerwaltung e o coro Chorgemeinschaft Neubeuern participaram do Hong Kong Music Festival e do Beijing Music Festival na China, onde apresentaram obras de Joseph Haydn com enorme sucesso.

Serviço:

ORQUESTRA KLANGVERWALTUNG DE MUNIQUE

DATA: 29/09/2012, sábado
HORÁRIO: às 20h
LOCAL: Teatro (SESC Santos). 
INGRESSOS: R$ 7,50 a R$ 30,00
CLASSIFICAÇÃO: Livre

Contato com o Folhetim Cultural: folhetimcultural@hotmail.com 
Fonte: SESC Santos
Postagem: Magno Oliveira

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo

Shows do Sampa Crew e Gabriel Corrêa fecham programação do aniversário de Poá

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”