Família de Monteiro Lobato fará doação de acervo a Suzano‏

Embora poucos saibam, o único local onde o escritor e jornalista Monteiro Lobato teve propriedades foi na cidade de Suzano. O criador de personagens que marcaram e marcam a história de diferentes gerações se auto-intitulava viajante do mundo e, por isso, nunca se prendeu a imóveis. “Como ele era ligado à cultura, sempre dizia que tinha de se apegar às letras e não a terras”, recorda Álvaro Gomes, representante legal da família Lobato, que, nesta quinta-feira (20/5), esteve em Suzano para discutir a doação do acervo do escritor ao município.
E é justamente com o objetivo de resgatar esse vínculo com a cidade, além de manter viva a história deste importante ícone da literatura brasileira, que Gomes busca a aproximação com o poder público local. Ele explica que a, partir deste primeiro encontro, avaliará com a neta do escritor, Joyce Campos Kornbluh, de 82 anos, o que poderá ser doado ao município.
Gomes adianta, entretanto, que todos os títulos lançados pelo autor deverão ser disponibilizados a Suzano, assim como os materiais audiovisuais, entre documentários e as séries de televisão, novas e antigas. “Queremos também achar uma forma de contar um pouco da história dele, o que deverá ser feito por meio de fotografias e imagens, mas ainda iremos definir isso”.
A visita do representante legal da família foi acompanhada pelos secretários Walmir Pinto (Cultura) e Mauro Vaz (Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Negócios e Turismo). Gomes teve a oportunidade de conhecer o Centro Cultural do Colorado, que leva o nome de Monteiro Lobato e onde deverão ser abrigadas as imagens do escritor, e também o Departamento de Patrimônio Histórico do município.
E o nome do escritor foi dado ao Centro Cultural justamente pela relação daquela região com a história de Monteiro Lobato. A Vila Urupês, por exemplo, foi nomeada desta forma em referência ao livro de mesmo nome, lançado em 1918 e considerado uma obra-prima do autor. A rua Jeca Tatu, que fica na lateral do equipamento de cultura, é outro exemplo de nomeação que remete ao universo criado pelo escritor em suas obras. “A dona Joyce se sentiu muito honrada com a homenagem e pretende vir a Suzano para conhecer o Centro Cultural”, destaca Gomes.
Na avaliação do secretário Walmir Pinto, além da oportunidade de enriquecer as bibliotecas locais, com a doação do acervo, essa relação mais próxima com a família ajudará o município a recuperar parte importante de sua história. “Nosso trabalho na Diretoria de Patrimônio Histórico é justamente contar a história de Suzano a partir de vários ângulos, muitos que até mesmo ficaram esquecidos. Agora vamos aproveitar para tentar adquirir documentos que retratam a relação de Monteiro Lobato com a cidade”.
“Suzano é privilegiada por ter sua história ligada a esse grande escritor e a ideia da Prefeitura é justamente contribuir com o resgate dessa relação, que é uma importante referência para o município”, reforça o secretário Mauro Vaz.
A visita também foi acompanhada pelos diretores Romildo de Oliveira Campelo (Indústria e Comércio) e Luiz Pavésio (Integração Regional).
Fonte: Imprensa de Suzano
Readaptação: Bruno Martins

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

REUNIÃO DO CONSELHO DE CULTURA DE POÁ SERÁ DIA 19

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo