Sérgio Roveri ensina a escrever para o teatro




A dramaturgia brasileira vive um momento de ebulição, na opinião do dramaturgo, jornalista e roteirista Sérgio Roveri, que ministra uma oficina de dramaturgia em Suzano, no Centro de Educação e Cultura Francisco Carlos Moriconi. As aulas fazem parte do projeto Pílulas Criativas e vão até 27 de maio. As inscrições estão encerradas.

Segundo Roveri, uma oficina como a realizada em Suzano é extremamente importante no momento atual, por conta do interesse maior pelo texto. “Há cerca de 10 anos vem ocorrendo um resgate dos textos brasileiros. O interesse não é apenas dos novos autores, mas também de editoras interessadas nestes novos textos”, contou.

Um exemplo do crescente interesse por textos brasileiros são os eventos para leituras dramáticas que têm ocorrido em São Paulo, de acordo com Roveri. Há encontros como estes promovidos pelo Museu de Arte de São Paulo (Masp), pela Casa das Rosas e pelo jornalFolha de São Paulo.

O texto é muito importante para o teatro, apesar da cultura da celebridade existente hoje. “Nem sempre é o texto que leva o público ao teatro. Muitos vão ver um ator famoso. No entanto, se o texto for bom e seduzir o público, a semente terá sido plantada. O forte do teatro é a palavra”, afirma Roveri.

Para a produção de bons textos, segundo o dramaturgo, é preciso estudo e bagagem cultural. Roveri estudou dramaturgia três anos antes de escrever sua primeira peça. “Mesmo depois de profissional, o estudo é importante”, conta. A reciclagem individual, para ele, deve ser feita com a leitura de peças, sejam clássicas ou contemporâneas, leitura de bibliografia específica de teatro e as idas ao teatro, para ver as peças.

Carreira

Sérgio Roveri é jornalista e dramaturgo. Trabalhou na Editora Abril e no Jornal da Tarde, onde foi repórter, redator e editor de Variedades.

Autor de inúmeras peças, ganhou o Prêmio Shell de Melhor Autor por “
Abre as Asas Sobre Nós” (direção de Luiz Valcazaras), em 2006. Recebeu a segunda indicação para o prêmio na categoria de melhor autor com a peça “A Coleira de Boris”.

Fonte e Foto: Imprensa de Suzano

Reprodução: Magno Oliveira

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo

Shows do Sampa Crew e Gabriel Corrêa fecham programação do aniversário de Poá