6ª Mostra de Referências Teatrais de Suzano - última semana

6ª Mostra de Referências Teatrais de Suzano entra em sua última semana

Suzano, 22 de novembro de 2010 – A 6ª Mostra de Referências Teatrais, realizada pela Prefeitura de Suzano, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, chega à sua última semana de apresentações. Haverá espetáculos teatrais de quarta-feira a sábado (24 a 27/11), no Galpão das Artes (rua Nove de Julho, 267 – Centro) e na praça João Pessoa. No domingo (28/11), às 20h, o local receberá um show de encerramento, com a banda Contadores de Mentira.

A entrada nos espetáculos é gratuita. Os ingressos devem ser retirados no local, uma hora antes do início do espetáculo. Mais informações sobre a 6ª Mostra de Referências Teatrais podem ser obtidas pelo telefone 4747-4180.

Quarta-feira (24/11), 19h: “Ópera dos Vivos”, com a Cia. do Latão

Local: Galpão das Artes

A peça se inspira na história das Ligas Camponesas, surgidas no interior pernambucano em fins dos anos 1950, a partir das chamadas “sociedades mortuárias”, associações de camponeses que se cotizavam para comprar caixões e realizar enterros dignos. O tema foi tratado no passado por autores como Antonio Callado e gerou peças ligadas ao Centros Populares de Cultura (CPCs), um dos principais movimentos de renovação da arte teatral no país. A versão da Cia. do Latão desenvolve o assunto no contexto mundial da Guerra Fria e aproxima, com a liberdade da parábola histórica, o trabalho das Ligas Camponesas às jornadas de alfabetização de Paulo Freire. O simbolismo da luta de classes no campo surge também como reflexão sobre a beleza e a dificuldade de politização da arte. É dedicada à memória do trabalho teatral de Oduvaldo Vianna Filho, o Vianinha.

Quinta-feira (25/11), 16h: “Este Lado para Cima”, com a Brava Cia.

Local: Praça João Pessoa

A ordem e o progresso fundamentam o surgimento de mais uma cidade, e os seus habitantes vivem em razão do trabalho, sonhando com um futuro de felicidade. Até que uma crise, causada pelos seus próprios dirigentes, se abate sobre essa metrópole, ameaçando a ordem estabelecida. Assim, os dirigentes constroem o “mais avançado artefato da tecnologia humana”: a Bolha, que do céu vigiará tudo e todos, para manter as coisas como sempre foram. O poder do mercado e o controle das relações humanas exercido por ele são discutidos com um humor anárquico neste trabalho da Brava Companhia, construído para apresentação em rua ou espaços alternativos.

Quinta-feira (25/11), 20h: “O Fantástico Reparador de Feridas”, com a Cia. Ludens

Local: Galpão das Artes

O autor Brian Friel constrói sua narrativa totalmente calcada nas possibilidades da metalinguagem. Tendo como música tema a canção de um musical hollywoodiano da década de 50, uma trupe bastante incomum viaja pelo Reino Unido e a Irlanda, apresentando um número que se situa entre a representação teatral propriamente dita e um culto religioso de cunho sobrenatural. Um curandeiro, sua esposa e seu agente tentam sobreviver cobrando ingressos de inválidos em apresentações das quais podem sair curados. O rigor da carpintaria teatral, a ousadia do dramaturgo com este experimento, a temática abordada e a proposta estética sugerida pelo próprio texto são elementos que fazem desta peça um dos momentos mais criativos dentro da trajetória artística do escritor.

Sexta-feira (26/11), 16h: “Ser Tão Ser – Narrativas da Outra Margem”, com a trupe Buraco do Oráculo

Local: Praça João Pessoa

Espetáculo construído a partir das histórias de vida dos moradores da região do extremo leste de São Paulo. A trupe leva para o palco a rua, um relato sobre o homem desterritorializado, o homem que esta fora do seu território, jogado a margem de uma cidade grande.

Sexta-feira (26/11), 20h: “Medeia, a Mulher Fera”, com o Grupo Folias D’Arte

Local: Galpão das Artes

Com o texto “Medeia Pop”, de Reinaldo Maia, o grupo propõe que esta mulher, este mito, seja realmente transformado em mais um show que nós, cidadãos conscientes, paramos para apreciar. Ou será que somos obrigados a presenciar? Ou será que gostamos de ver? “Medeia, a Mulher Fera”, será servida como prato principal, mas há outras entradas que o público presente poderá se deliciar. Para todos os gostos. Afinal... devemos preparar o nosso paladar para apreciar com mais clareza o que o mundo atual nos reserva!

Sábado (27/11), 20h: “Gardênia”, com El Otro Núcleo de Teatro

Local: Galpão das Artes

Livremente inspirada em “O Amor nos Tempos do Cólera”, de Gabriel García Márquez, “Gardênia” foi artesanalmente construído. Cada elemento, cada palavra e gesto foram escolhidos de forma cuidadosa, no intuito de transpor ao palco, se não o mesmo deleite da leitura, o universo rico de imagens e sensações de García Márquez. Uma cena firmada na palavra, na construção poética, na sensibilidade da fala, que evoca o prazer da simplicidade da narrativa, da poesia falada, da imagem desenhada, colorida de uma primeira sensação, evocando uma primordial emoção: de pertencimento da obra. Sim, pois a proximidade com o público, o ator que conta uma história, a confusão proposital entre ator e personagem, a metamorfose composta a olhos vistos, a utilização de tecnologia simples, operada à frente do público, acaba por fazer com que o espectador se aproprie do que vê, participando da história pela palavra bem-dita. Um corredor acompanha a construção da história de Fermina Daza e Florentino Ariza. O amor de juventude; suas vidas apartadas; o reencontro na velhice.

Postagem: Magno Oliveira
Fonte: Tais - SECOM

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo

Shows do Sampa Crew e Gabriel Corrêa fecham programação do aniversário de Poá

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”