6ª Mostra de Referências Teatrais - espetáculos do final de semana

O segundo final de semana da 6ª Mostra de Referências Teatrais de Suzano, promovida pela Prefeitura, contará com a apresentação de três espetáculos teatrais. No sábado (20/11), serão encenados “Navio Negreiro”, às 16h, no Pavilhão da Cultura Afro-brasileira Zumbi dos Palmares, dentro da programação do Mês da Consciência Negra, e “Ferro em Brasa”, às 20h, no Galpão das Artes. No domingo (21/11), o Galpão das Artes receberá a trupe Les Commediens Tropicales, que apresentará a peça teatral “A Última Quimera”, às 20h.

A entrada nos espetáculos é gratuita, e os interessados devem chegar ao local da peça uma hora antes do horário de início para a retirada de ingressos. Só será entregue um ingresso por pessoa.

Mais informações sobre a 6ª Mostra de Referências Teatrais de Suzano podem ser obtidas no site da Prefeitura de Suzano (www.suzano.sp.gov.br/agendacultural) ou pelo telefone 4747-4180.

20/11, 16h

“Navio Negreiro”, com Benedito Irivaldo de Souza, o Vado

Local: Pavilhão da Cultural Afro-brasileira Zumbi dos Palmares – Parque Municipal Max Feffer (cruzamento das avenidas Brasil e Roberto Simonsen – Jardim Imperador)

“Navio Negreiro”, de Castro Alves, possui os versos sobre o transporte dos escravos da África para o Brasil e a forma com que eram tratados. Este espetáculo está na Mostra de Referências Teatrais pela sua longevidade. O ator Benedito Irivaldo de Souza, o Vado, apresenta esta mesma peça desde 1971, quando foi encenada pela primeira vez. A peça, em que Vado interpreta sozinho 16 personagens durante aproximadamente duas horas, foi apresentada com sucesso também na França, Espanha, Cuba e outros países.

20/11, 20h

“Ferro em Brasa” - Os Fofos Encenam

Local: Galpão das Artes (rua Nove de Julho, 267 – Centro)

Indicado ao Prêmio Shell nas categorias Melhor Atriz (Cris Rocha) e Especial (pela pesquisa de circo-teatro desenvolvida pelo grupo), “Ferro em Brasa” é um drama trágico que valoriza a estética do circo-teatro. Às vésperas de seu casamento, uma jovem de uma aldeia portuguesa percebe que seu noivo não a ama mais, pois ele estaria apaixonado por sua mãe, a futura sogra.

Quarto espetáculo da Cia. Os Fofos Encenam, “Ferro em Brasa” dá continuidade à pesquisa de circo-teatro realizada pelo grupo e iniciada pelo diretor Fernando Neves na montagem “A Mulher do Trem”, encenada na 5ª Mostra de Referências Teatrais. Membro de uma típica família circense, Fernando Neves buscou uma interpretação naturalista, que salienta os silêncios. "Recolhi do baú de minha família uma série de textos. Grande parte deles não chegou a ser publicada. Encontrei ali um rico repertório, pois os autores circenses sabiam como construir uma dramaturgia sólida para conduzir a trama e manter atenta a plateia que ia ao circo em busca de boa diversão", explica.

21/11, às 20h

“A Última Quimera” - Les Commediens Tropicales

Local: Galpão das Artes (rua Nove de Julho, 267 – Centro)

Talvez ninguém em nossa literatura tenha personificado com tamanha força a figura do outsider, do bizarro, do homem com uma sensibilidade fora do normal, como Augusto dos Anjos (1884-1914). Incompreendido e quase miserável em vida, tornou-se um dos maiores poetas brasileiros após sua morte, com dezenas de edições do seu único livro, “Eu”. Por que algumas pessoas não dão certo? O que é dar certo?

Olavo Bilac, Príncipe dos Poetas, que em toda história da nossa literatura alcançou prestígio e identificação populares jamais registradas em plena vida e por um período duradouro, depois de sua morte foi relegado ao ostracismo na companhia de todos os parnasianos. Por que algumas pessoas dão certo? O que é dar certo?

A Última Quimera é um estudo-ensaio-espetáculo, coisa provisória, em constante pergunta sobre qual a contribuição de um artista no processo histórico. Um jogo inspirado no romance homônimo de Ana Miranda, que subverte regras e experimenta o prazer da finitude, da morte, da poesia e, principalmente, do teatro. O ringue na selva das cidades está armado: de um lado, Olavo Bilac; de outro, Augusto dos Anjos; num outro canto, os atores; e no canto último deste quadrilátero, o público. Qual será nossa última quimera ao entrar na luta? Quem não é culpado pela sua própria arte, não atira contra a sua própria vida!

Fonte: Secom ( Secretaria de Comunicação de Suzano)
Postagem: Magno Oliveira

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

REUNIÃO DO CONSELHO DE CULTURA DE POÁ SERÁ DIA 19

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo