Série Rock In Rio: Sobre o Rock in Rio por Roberto Medina

A GRANDE FESTA DE TODAS AS TRIBOS

por Roberto Medina

No final de setembro, milhares e milhares de jovens de espírito, não importa a idade que tragam escrita no papel, chegarão de todas as partes para um encontro inesquecível no Rock in Rio. E ali, na pátria temporária de todos, os fãs das mais diversas correntes musicais compartilharão alegrias, num território livre para todas as paixões. Porque essa é a essência do festival, concebido e produzido a partir de uma filosofia que pode ser resumida em três palavras luminosas: convergência, convivência e permanência.

Aberto às inúmeras tribos da sociedade moderna, o Rock in Rio não é um projeto de heavy metal, mas também de heavy metal; não é de musica pop, mas também de música pop, de música local, de vanguarda. Acolhe a diversidade cultural e aproxima os diferentes. Atende às preferências dos vários públicos em dias específicos e oferece, todos os dias, atrações que ultrapassam o palco, motivando jovens e famílias inteiras..

A cada edição são incorporados novos avanços. Contudo, o espírito original permanece intocado, derrubando preconceitos, estimulando o convívio cordial e fazendo da música um instrumento de paz. Só esse propósito e esse clima já explicariam 25 anos de sucesso reconhecido e admirado no mundo inteiro. Mas o Rock in Rio tem uma característica própria, que o distingue de outros grandes festivais, também plenos de emoção, que surgiram a partir do encontro mágico de Woodstock.

O público tratado como “superstar”

O prestígio internacional do Rock in Rio resulta, igualmente, de um modelo de atendimento ao público único no mundo. A organização do evento trata seus frequentadores com a mesma sensibilidade e respeito que dedica às celebridades contratadas. O rigoroso padrão de exigência do festival vai muito além do palco, para oferecer, de um lado, suporte total aos artistas, e de outro, mais conforto, segurança, higiene e serviços aos espectadores, como materialização de um profundo comprometimento com o bem-estar da plateia – antes, durante e depois dos shows.

Some-se a isso um sadio ambiente de negócios para as marcas associadas, empenhadas em vender produtos de qualidade a preços justos, e a total consideração à comunidade das cidades-sede, através de cuidados com o trânsito e com a normalidade da vida cotidiana, assegurados em parceria com as autoridades locais e a imprensa.

Responsabilidade social, a outra face do Rock in Rio

Na sua primeira edição, em Janeiro de 1985, em plena transição da ditadura para a democracia, o Rock in Rio convidou o Brasil a comemorar a liberdade. Apresentou os maiores nomes do “show bizz” internacional, atraiu ao local do evento mais de um milhão de pessoas, chegou a 100 milhões de brasileiros pela televisão e pelo rádio, trouxe visitantes de todos os continentes e foi coberto pela mídia de 30 países. Nos 25 anos seguintes, evoluiu em cada nova edição brasileira e atravessou o oceano para conquistar o público europeu, primeiro em Lisboa, depois em Madri e em breve, em outras cidades do mundo.

As nove edições já realizadas nas três cidades somaram 5.986 milhões de espectadores presentes, 656 performances de artistas de todas as correntes e mais de1bilhão de telespectadores em 80 países. Um sucesso de tamanha grandeza impõe responsabilidades e exige dos organizadores, retribuições que ajudem a melhorar de alguma forma este planeta de todos nós.

O Rock in Rio desenvolve ações concretas com foco social e ambiental. Essa atitude permitiu a abertura de 70 salas de aula no Rio de Janeiro, onde 3.200 jovens completaram o ciclo de ensino fundamental. Em Portugal, diversas instituições foram apoiadas e foi desenvolvido um projeto de produção de energia solar através da instalação de painéis fotovoltaicos em escolas, mobilizando milhares de jovens. Em Madri, mais de 300 ônibus foram disponibilizados gratuitamente ao público para incentivar o uso do transporte coletivo e 100% das emissões de CO2 do festival foram compensadas.

Há 25 anos, artistas, técnicos e empresas acreditaram que valia a pena ousar.
Hoje, somos uma referência no mundo do entretenimento.
Obrigado a todos que sonharam esse sonho comigo!

Roberto Medina

Fonte: http://www.rockinrio.com.br

Postado: Magno Oliveira


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo

Shows do Sampa Crew e Gabriel Corrêa fecham programação do aniversário de Poá