Poesia Ligeira Dor por Dhyne Paiva



Dhyne Paiva é estudante, poetisa e blogueira. Escreve poesias há pouco mais de três anos, usa redes sociais e blogs para divulgar seu trabalho. Participou da primeira edição das exposições 2 Artes, Varal de Poesias e Um Poema em Cada Árvore (em Poá). Futuramente pretende se dedicar ao jornalismo, sem deixar de lado a poesia. Nasceu em São Paulo (SP), mas resite atualmente em Guarulhos.




LIGEIRA DOR

Na pia,
as cinzas da carta queimada escorrem.
No chão,
os cacos do copo quebrado já não têm volta.
Uma palavra e tudo acabou.

A porta bateu,
a escuridão formou-se.
Outra lágrima escorreu e essa já não era doce
como as que se formavam em meu olhar
ao te ver sorrir.
Era amarga,
como a sensação de te ver partir.

O chão,
tornou-se uma enorme cratera.
As fotos,
apenas uma lembrança de outra era.

Então a música tocou
e foi o que bastou.
A solidão fechou a porta,
foi embora... Já passou.



Autora: Dhyne Paiva.




Acompanhe a programação do Chá das 5:

Segunda-feira: Roberto Prado - Blog ETC & Basta

Terça-feira: Beto Ribeiro

Quarta-feira: Magno Oliveira - Poeta Magno Oliveira

Quinta-feira: Dhyne Paiva - Liberdade de Expressão

Sexta-feira: Ailton Sales

Duas edições diárias: uma ás 5h e outra ás 17h.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo

Shows do Sampa Crew e Gabriel Corrêa fecham programação do aniversário de Poá