George Clooney reconhece que fez programas de TV "bem ruins"

DA EFE, EM TORONTO

O ator americano George Clooney declarou neste sábado que só a sorte lhe permitiu deixar de fazer "programas de televisão ruins" e se transformar em um dos maiores atores de Hollywood.
Durante uma entrevista coletiva realizada no Festival Internacional de Cinema de Toronto (TIFF, na sigla em inglês) por ocasião da apresentação de seu último filme, "The Descendants", Clooney reconheceu que no começo de sua carreira artística esteve "em programas de televisão bem ruins".
"Eu era muito ruim, portanto não posso rir dos programas. Mas você sempre pensa em si próprio como um ator de filmes: 'Sou um ator de filmes, só que agora estou fazendo este péssimo programa de televisão'", continuou.
Chris Young/The Canadian Press/Associated Press
George Clooney durante coletiva de imprensa do filme "The Descendants" no Festival de Toronto
George Clooney durante coletiva de imprensa do filme "The Descendants" no Festival de Toronto

"Há um período no qual simplesmente você tenta trabalhar. E então tem sorte. 'ER' (o programa de televisão) foi sorte", acrescentou Clooney.
"Imediatamente passei do anonimato a ser capaz de aparecer em um filme. Antes não conseguia. Tinha muitas audições e não conseguia. Isso foi sorte. Era um ator que fazia só duas linhas em um filme", explicou.
Em "The Descendants", um filme dirigido por Alexander Payne, e que estreou neste sábado no TIFF, Clooney interpreta um pai que tem que enfrentar a grave doença de sua esposa e uma difícil relação com seus três filhos.
Clooney também apresentou no TIFF seu quinto filme como diretor, o qual também escreveu, produziu e atuou, "Tudo pelo Poder".
Clooney assinalou que uma de suas maiores influências como diretor foi Sydney Lumet e qualificou seu filme "Rede de Intrigas" (1976) como "uma peça-mestra".
O ator assinalou que atualmente está mais preocupado com a qualidade dos filmes dos quais participa do que nos prêmios que ganha.
"A verdade é que quero fazer filmes que as pessoas lembrem, e se você faz cinco ou dez desses durante sua vida então você conseguiu", disse.

Fonte: Folha Ilustrada
Postagem: Magno Oliveira

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo

Shows do Sampa Crew e Gabriel Corrêa fecham programação do aniversário de Poá