Chá das 5 com Ailton Sales


O Trovador Ailton Sales




Ailton Sales se considera trovador. Nascido em Minas Gerais já residiu em São Paulo. Onde trabalhou e teve várias profissões, está atualmente aposentada na cidade de Poços de Caldas MG. Uma vez ao mês irá dar mostra de seu talento aqui no Folhetim Cultural ás 17 horas aos sábados e nas quintas feiras também ás 17 (reprise).










Envie e-mail: salesferreiraailton@hotmail.com ou folhetimcultural@hotmail.com

Twitter Folhetim Cultural: http://twitter.com/#!/folhetimcultura

Página do Folhetim Cultural no Facebook: http://www.facebook.com/pages/Folhetim-Cultural/306412726048485

Mulher

Meio século passado
Tantos anos sem lhe ver
Vivo com outra ao meu lado
Mas não posso lhe esquecer

Os seus cabelos dourados
Soltos ao vento querida
Raios de sol aquecendo
Os dias da minha vida

Seus lindos olhos brilhando
Verde cor da esmeralda
Dois faróis iluminando
Esse seu rosto de fada

Sua boca seu sorriso
Lábios doces como mel
Transportam-me ao paraíso
Abrem as portas do céu

Seu corpo uma perfeição
E os seus pés ao caminhar
Lembram o que diz a canção
Parecem rosas pisar

A mulher que descrevi
Não é uma ficção
É aquela que nunca esqueci
Que vive no meu coração.
A seguir Devaneios do Ranzinza ás 20 horas e na sequência O Poeta das Faixas Cazuza 22 horas.

Comentários

  1. Un trovador ¿es el poeta que improvisa según va recitando o llaman así al que escribe sus poemas?
    ¡Quién fuera esa mujer para que le dijeran esa cosa tan bonitas...!
    Un abrazo, Carmen

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Carmem, á mulheres que passm por nossa vida e como uma tatuagem não se consegue apagar.Essa foi uma delas.
      Abraços.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por interagir conosco!

Postagens mais visitadas deste blog

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo

Shows do Sampa Crew e Gabriel Corrêa fecham programação do aniversário de Poá

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”