Sentires Poéticos por Ianê Mello



Sempre encontrei verdadeiro fascínio na poesia, sendo por ela constantemente atraída,
por sua forma subjetiva e rica de expor sentimentos e idéias com profundo lirismo.
Quando comecei a escrever algumas linhas, na minha adolescência, foi através da forma 
poética que encontrei expressão. Os versos fluíam tão naturalmente e com tamanha
facilidade que não pensava nas palavras, elas vinham e se apossavam de mim (risos). 
Me sentia um mero instrumento daquele "algo" que de mim se apoderava, a inspiração.
Com o passar do tempo fui encontrando novas formas de expressão, como o conto e a
crônica, encontrando prazer e desenvolvendo uma fluência na escrita desses gêneros,
         mas a poesia continua sendo a minha paixão e a minha catarse.


Biografia

         Nascida no Rio de Janeiro (RJ).

É educadora e pós-graduada em Pedagogia
Identificada com as diversas propostas em textos literários, escreve também com 
resultados diversificados.

Seus textos incluem contos, crônicas, aforismos, haicais e poesias.

Alguns deles são publicados na internet, em sites, blogs e revistas eletrônicas.

Escreveu um livro de contos "Rocktales - Contos do Rock"" com o escritor Beto Palaio, a ser publicado em breve.

Links Externos

Blogs Pessoais:

Labirintos da Alma - http://labirintosdaalma.blogspot.com/

Outras Formas de Expressão - http://ianemello.blogspot.com/




Participação como Colunista:

Comunidade Literária Benfazeja

Revista Contemporartes


Textos na Internet:

Comunidade Literária Benfazeja - http://www.benfazeja.com/

Antologia Momento Litero-Cultural

Revista Zunai


Facebook:


Grito Criativo

https://www.facebook.com/groups/poeticadoencontro/?notif_t=group_activity

Grupos do facebook nos quais participa:

Vidráguas 

Contato: ianerubens@gmail.com

iane.mello@hotmail.com
Por Ianê Mello


O POEMA

Poema
quando surges
urges urgências
imediatas
és apressado e deslizas
em palavras
que escorrem
no papel
Inexatamente exato
és perfeito
imperfeito sendo
pois que de pouco
muito se torna
e do muito
faz-se um nada

Poema
és alma lavada
purificada em pranto
Poema és sujo
nas palavras coloridas
em sangue
nas quais te embriagas
e te deleitas

Poema
és rarefeito
quando ar te falta
e ter perdes no vazio
Poema
és sombrio
quando turvado na dor
e te banhas em lágrimas

Poema
simplesmente és
a turbulência do momento
em que aconteces
ou a calmaria
de que por ventura padeces

Poema
simplesmente és
tempo e memória
 E-mail do Folhetim Cultural: folhetimcultural@hotmail.com
Twitter de Ianê Mello: http://twitter.com/#!/ianemello
Twitter do Folhetim Cultural: http://twitter.com/#!/FolhetimCultura



Todas ás segundas feiras aqui no Folhetim Cultural ás 20 horas Sentires Poéticos!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

REUNIÃO DO CONSELHO DE CULTURA DE POÁ SERÁ DIA 19

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo