Chá das 5 com Bruno Martins


Sou o Bruno Martins tenho 20 anos, radialista. Escrevo desde os 14 anos, entre criticas e poesias. Espero que gostem das minhas escritas. Todo mês irei participar do Chá das 5
Meu twitter: @comunicaobruno

A Arte esta morta


A última vez que a arte foi vista estava caminhando pela praia numa tarde cinzenta, chovia muito ela entrou no mar e nunca mais foi vista.
Antes da ocorrência da tragédia a Arte levou seu filho Poesia para a escola, voltou para casa e preparou um café da manhã para o seu marido Sentimento antes que ele fosse trabalhar.
Os dois se beijaram, mas Sentimento não se deu conta de que seria a última vez que a veria.
Um amigo da família o Paixão disse que naquela mesma manhã a Arte havia ido em sua casa para visitar sua mulher a senhora Beleza.
As duas conversaram muito, Beleza disse que a Arte se mostrou muito revoltada com as guerras da atualidade.
Em nota a Senhora Beleza disse que a Arte chorou ao saber que sua maior inimiga a Morte ocupou o seu lugar, o vermelho que antes era a cor do amor virou a pintura de um sangue findável de uma jovem protestante.
Muito revoltada a Arte saiu da casa da família Paixão sem dizer para onde ia. Ela que por uma vida inteira foi representada em obras de grandes autores se viu obrigada a tomar uma decisão difícil.
Em um dia brumoso marcado por guerras e confrontos governamentais pelo mundo afora foi confirmada a morte da Arte, mas a mídia ainda não se deu conta, pois esta cobrindo as matérias sangrentas do Irã.
Na morte da Arte a tragédia maior foi de nós mesmos do nosso mórdido desejo de apenas nos prostarmos diante da televisão para de camarote assistirmos a desgraça alheia.

Comentários

  1. É verdade. A mídia pouco,quase nada nos oferece além de desgraça. E são tantas mundo a fora...
    Abraços cariocas!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por interagir conosco!

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo

Shows do Sampa Crew e Gabriel Corrêa fecham programação do aniversário de Poá