Chá das 5 com Bruno Martins

Sou o Bruno Martins tenho 20 anos, locutor e apresentador de programa em uma rádio comunitária. Escrevo desde os 14 anos, entre criticas e poesias. Espero que gostem das minhas escritas.

O Quadro

São Paulo uma exposição de belas artes que retrata um pouco de mim, de você, da humanidade. São Paulo de vários povos uma miscigenação que une o rico ao pobre, cada família com sua estirpe e uma crença religiosa que muitas vezes não bate com a do outro, gerando um conflito entre o homem e o sobrenatural.
São Paulo de judeus, palestinos, chineses e israelitas; o mundo vive aqui. Pessoas que largaram suas famílias, seu país em busca de uma vida melhor, pessoas que largaram as cidadezinhas do interior para ganharem a vida na maior cidade da América latina. Uma exposição de prédios e poucas casas de carros e pessoas de sombras indiferentes, de máquinas e tecnologias que destroem o nosso meio ambiente. Algumas invisíveis outras nem tanto transformando essa metrópole em um horizonte morto.
Como um quadro obscuro São Paulo é repleto de surpresas obras vivas pintadas com cores e sombras indiferentes, rostos e pernas se perdem entre neblinas sonolentas. Um impacto agressivo que a obra não mostra, um degredo não cumprido medo, dor, fome a vitrina da revolta no olhar de uma criança. Crianças essas expostas por todos os cantos dessa cidade em retratos que a burguesia não olha, inundando a alma obscurecendo a mente, afogando o sonho. Sonho de ser criança.
São Paulo sua beleza me encanta tantas ruas e nenhuma igual à outra, tantos prédios um mais lindo e maior que o outro. As obras do arquiteto Oscar Niemaier fazem de ti uma cidade encantadora.
Há vários quadros na parede do meu quarto, há tantas formas de se ver o mesmo quadro, mas eu não olho para nenhum dele seu olho para esse quadro de cores vivas e cintilantes tão vivas que em ti retratada até se mechem, os carros e as pessoas pelas suas ruas andam, os pássaros e os aviões voam, cantam e fazem barulho e nos prédios vejo as luzes apagando e ligando, vejo escurecer e anoitecer e você continua do mesmo jeito.
Eu te olho São Paulo da janela do meu quarto.

Comentários

  1. muchas gracias por tus vibras
    de apoco retomando este andar pixelado:)

    Un abrazo para todos los damnificados del temporal que asola esta y otras localidades del Brasil

    ResponderExcluir
  2. obrigada pelas visitas!
    escreves muito bem.
    força (devido ao temporal). bjs

    ResponderExcluir
  3. Hola:

    He visto por televisión tan generoso despliegue de arte que hay en esa bella cuidad, es realmente extraordinario.

    Gracias por visitarme,

    abrazos.

    ResponderExcluir
  4. Lamento o sofrimento do povo que está a sofrer na pele a revolta da natureza.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  5. complimenti per il tuo blog

    ciao
    giordan
    parabéns pelo seu blog

    Olá
    Giordan

    ResponderExcluir
  6. - Obrigada pelo kmt e bem vindo ao momento lala. Amei muito os seus textos, achei um espaço incrível. Já estou seguindo vc's. Enormes beijus e volte sempre!!
    Até mais, Ju.

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pelo texto.
    Entrarei em contato.
    Abraços,
    Jozi
    O Lugar das Cores Escritas

    ResponderExcluir
  8. Bom texto.

    Coloquei este blog nos links do meu para seguir os posts. bom domingo

    ResponderExcluir
  9. Hola amig@!! Te invito a que me acompañes dando un paseo por la orilla del mar, iremos dialogando en silencio mientras nuestros ojos se pierden entre las doradas dunas que bordean el entorno bajo un benigno clima que siempre acoge al visitante.

    De paso haremos una alto en el camino para reponer fuerzas, tomando un mus de gofio, a la vez que brindamos a los oídos la oportunidad de sentir el embrujó de estas tierras al escuchar una Isa o unas Folías música arraigada a estas tierras Canarias.

    ¿Me acompañas?

    María del Carmen

    ResponderExcluir
  10. Teño un gran sentir
    nestes día polo pobo
    do Brasil que está
    a sufrir gran catástrofe.

    Os meus parabéns
    por este folhetim
    cultural.

    Bicos dende Galicia.

    ResponderExcluir
  11. Olá moço lindo!

    Não é só em S. Paulo que a vida é triste para as crianças e a maioria do povo, é pelo mundo, e tudo devido a uns e outros que esperam mais e mais sem olhar a meios, não pensam no amor, na fraternidade, igualdade. Tratam apenas deles e esquecem que há quem sofra. As tecnologias modernas vieram tirar postos de trabalho, arranjaram lugar para elas mas não para os seres humanos que iam ficando desempregados!

    Sinto que já não vamos esperar muito pela justiça e igualdade, e que o mundo ainda será um lindo lugar onde todos nos sentiremos unidos na amizade e amor fraternos!

    Um beijinho e linda a sua forma de escrita.

    laura

    ResponderExcluir
  12. obrigada pelo convite para o chá! adorei :)

    ResponderExcluir
  13. Hola;
    Gracias por pasarte por mi blog y enhorabuena por el tuyo.
    Me parece un blog informativo muy interesante.
    Un beso.

    htt://loveatfirstvisa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Como se vê coisas da janela, não é Bruno!
    Ainda bem que vc não se conforma com o que vê, abre a boca e fala mesmo. Poucos são aqueles que conseguem ver e muito menos falar.
    Continue firme nessa estrada.
    Beijos cariocas!

    ResponderExcluir
  15. Oh Regina tudo ótimo minha linda. Beijos paulista para vc. Olha como podemos ver coisas grandiosas da janela de nosso quarto. Alegria, amores e até dor. Mas sentimos sim a revolta por isso foi um jeito de abrirmos a boca e gritarmos.
    A escrita não é nada se não tivermos leitores como vocês (Fernando Santos,Laura, Maria, Juliana e muitos outros)
    Obrigado a todos que acompanham nosso trabalho no Folhetim.
    Que Deus os abênçoe!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por interagir conosco!

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

REUNIÃO DO CONSELHO DE CULTURA DE POÁ SERÁ DIA 19

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo