Conheça o Memorial da Resistência de São Paulo

museu da resistenciaO Memorial da Resistência de São Paulo é uma instituição dedicada à preservação das memórias da resistência e da repressão política por meio da musealização de parte do edifício que sediou o Departamento Estadual de Ordem Política e Social do Estado de São Paulo – Deops/SP, entre os anos de 1940 a 1983

Instalado na Estação Pinacoteca o espaço apresenta quatro eixos temáticos:

- O edifício e suas memórias: são apresentados os diferentes usos e apropriações do edifício construído no início do século XX para abrigar os escritórios e armazéns da Companhia Estrada de Ferro Sorocabana – além da estrutura e funcionamento do DEOPS/SP.


- Controle, repressão e resistência: o tempo político e a memória – as noções e as estratégias de controle, repressão e resistência que configuram a abordagem deste espaço, apresentadas a partir de estrutura conceitual em painel interativo, desenvolvidas em uma linha do tempo (da Proclamação da República, em 1889, ao ano de 2008) e referenciadas por um conjunto de publicações.

- A construção da memória: o cotidiano nas celas do DEOPS/SP – Este eixotrata exclusivamente do período do regime militar (1964 a 1983), a partir de diversos recursos  expográficos como uma maquete tridimensional que permite ao visitante compare o espaço prisional dos anos de 1969 a 1971 com o momento atual. A primeira cela mostra os trabalhos do processo de implantação do Memorial da Resistência; a segunda presta uma homenagem aos milhares de presos desaparecidos e mortos em decorrência de ações do DEOPS/SP; na terceira cela foi reconstituída a partir das lembranças de ex-presos políticos e a quarta cela oferece uma leitura da solidariedade entre os que estiveram encarcerados naquele local. Neste contexto do cotidiano na prisão, evoca-se também uma celebração religiosa realizada pelos frades dominicanos presos em 1969. Finalmente, um diorama permite ao visitante compreender como as manifestações públicas de resistência, naquele período, ecoavam nas celas.

- Da carceragem ao Centro de Referência: oferece possibilidades de aprofundamento temático, por meio da consulta a bancos de dados referenciais, destacando-se o Banco de Dados do PROIN – Projeto Integrado de Pesquisa desenvolvido pelo Arquivo Público do Estado de São Paulo e a Universidade de São Paulo. Neste espaço também são apresentados objetos e documentos provenientes de dossiês e prontuários produzidos pelo DEOPS/SP, sob a guarda do Arquivo Público do Estado de São Paulo, além de iconografia sobre os diferentes espaços do edifício.

Memorial da Resistência de São Paulo
Largo General Osório, 66 – Luz
Entrada franca
CEP 01213-010 – São Paulo – SP
Telefone: 55 11 3335 4990

Agendamento de visitas educativas: 3324.0943 ou 0944

Fonte: Site Brasil Cultura
Postagem: Magno Oliveira

Comentários

  1. Muito bom o seu blog. Parabéns e obrigada pela visita.

    ResponderExcluir
  2. Zeze

    Fico feliz que tenha gostado deste espaço o qual eu trato como um filho.

    Magno Oliveira
    Folhetim Cultural

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente em Portugal, em Lisboa, a antiga sede da polícia política foi destinada a condomínio de luxo... Houve um movimento chamado Não Apaguem a Memória...mas foi politizado e pelas divisões criadas não conseguiram dinamizar a Comunidade, no sentido de se exigir a preservação do espaço e a partilha dos testemunhos de muitos que ali foram torturados, por não serem adeptos de Salazar.
    Na Europa há sinais estranhos. A Hungria instituiu uma lei de censura a todos os orgãos de comunicação social (inclusivé blogues)que transmitam alguma notícia que o governo húngaro não goste...
    Angela Merkel está a fazer no campo económico o que Hitler não conseguiu pelas armas...
    Sei não!
    Obrigado pela sua partilha. Gostei de visitar seu blogue.
    Luís

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por interagir conosco!

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

REUNIÃO DO CONSELHO DE CULTURA DE POÁ SERÁ DIA 19

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo