Coluna de Comunicação por Bruno Martins: A mentira é generosa


A mentira é generosa

Todos os dias somos abordados por uma pilha de notícias que chegam de diversos cantos do mundo, em diversos jornais e sites. O que mais me chama a atenção nessas notícias são os títulos dados as reportagens. Eu costumo dizer que o título é cérebro do texto, de que adianta você fazer uma bela matéria sobre a posse da primeira presidente mulher do Brasil se você colocar um título pobre como, por exemplo: “A mulher está no comando” ou “Dilma dá as cartas.” O bom leitor se preocupa sim com o conteúdo da matéria, mas um bom título vai trazer nele à imaginação a vontade de querer descobrir o que aquela matéria quer dizer naquele momento. Não quero aqui ensinar regras de como escrever um bom texto, ou algo do tipo, pois tenho muito que aprender ainda. Mas vamos falar aqui um pouco sobre comunicação.
Analisando o contexto de jornalismo do século XXI aquele que vemos todos os dias em nossos televisores e por incrível que pareça, parece ser o que dá mais dinheiro vemos apenas o sensacionalismo exagerado de homens que mais parecem palanques de candidatos em época de eleição do que profissionais que estão ali para representarem o público através de seu microfone.
O livro do escritor Gunter Wallraff (Fábrica de mentiras) retrata bem o jornalismo que ainda não morreu, aquele típico jornal que inventa os fatos e se quer se preocupa com os seres humanos, mas vamos fazer o que? É legal ser sensacionalista o público gosta, aplaude isso é comprovado no ibope que não para de crescer. Mas ainda existem os bons comunicadores sim, a guerra contra o tráfico na favela do Alemão no Rio de Janeiro mostrou profissionais que se arriscaram sem medo, no meio do fogo cruzado e famílias desesperadas, tudo para levar a notícia em primeira mão ao público que esperava saber o que acontecia na cidade maravilhosa. Chegou a hora de nos preocuparmos sim com o que estamos lendo, ouvindo ou assistindo, senão seremos a próxima notícia no meio dessas mentiras.
Bem ai vai a minha dica de leitura para você leitor do Folhetim Cultural.
Fábrica de Mentiras” obra do escritor alemão Gunter Wallraff.

Comentários

  1. Já não vejo televisão para não ser manipulada. Escolho muito bem o que ler nos jornais, e mesmo assim, metade é mentira. Claro, precisa haver o fator sensacionalista, mas sou apenas uma exceção!

    Texto muito bom de alerta!

    Abraços

    Mirze

    ResponderExcluir
  2. Olá? estou agradecendo a visita ao meu blog "MEU CANTINHO DE FÉ,muito obrigado por sua mensagem e volte sempre que puder ok
    obrigado pelo carínho
    cordialmente
    William

    ResponderExcluir
  3. Realmente seu post é extremamente interessante pela verdade que traduz.Fico sempre a me perguntar o que mais poderemos fazer para conscientizar as pessoas a analisarem o que ouvem e o que assistem.Se puder dê uma passada em meu blog,fiz uma postagem sobre a Rede Globo.Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  4. Olá, meu blog TRIBUTO A CHARLIE CHAPLIM ficou sem minha atualização, por isso nem vi seu comentário.
    Bom, estou encantada com o teor e recheio de inteligencia do seu espaço.
    Abraços com sabor de pão de queijo.

    ResponderExcluir
  5. hola agradezco tu visita a mi blog había una vez, te sigo y te invito a pasar por diario de una geminis.
    besos,

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado por interagir conosco!

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo

Shows do Sampa Crew e Gabriel Corrêa fecham programação do aniversário de Poá