Samba de Gui Cardoso é o grande vencedor do 3º Fesc


Com um samba de teor político que conta a história do Brasil, o músico mogiano Gui Cardoso conquistou o primeiro lugar do 3º Festival da Canção de Suzano (Fesc Suzano 2011), organizado pela Prefeitura e a Associação dos Músicos e Artistas de Suzano (Amas). A canção “Mãe Gentil”, apresentada apenas com voz e violão, obteve 29 pontos do júri. Em segundo lugar, ficou “Amor em Cordel”, composição do músico Guilherme Bandeira, apresentada com o grupo Jambra, com 27,6 pontos. Na terceira colocação, está “O Por do Sol”, de Dinho Araguaia, interpretada junto com a banda Irmandade Africana, que obteve 26,6 pontos. A cantora Jéssica Martins, vocalista da banda de rock Eyppi, foi considerada pelos jurados como a Melhor Intérprete do festival, com a música “Não Para”.

Realizada na noite de sexta-feira (30/9), a final da categoria Livre do Fesc lotou o Teatro Municipal Dr. Armando de Ré. Alguns grupos levaram torcida, mas todas as 17 apresentações da noite (seriam 18, mas um dos músicos selecionados não apareceu e foi desclassificado) empolgaram toda a plateia, que dançava e aplaudia cada um dos concorrentes. As músicas contemplaram diversos estilos: rock, rap, sertanejo, samba, reggae, MPB e ritmos alternativos.

Embora seja músico profissional, Gui Cardoso ficou surpreso por ter conquistado o primeiro lugar do Fesc. “É o primeiro festival que participo na minha vida!”, disse ele, que elogiou a qualidade dos músicos que se apresentaram e o alto nível dos jurados. “Participo do processo da Cultura em Suzano e vejo que muita coisa boa tem sido feita. A cidade só tem a crescer se continuar assim”.

O músico Guilherme Bandeira, que ficou com a segunda colocação, também deu os parabéns à política cultural desenvolvida no município. Ele sentiu que houve melhora na qualidade do Fesc em relação ao ano anterior. “Espero que o festival continue evoluindo”, completou.

Dinho Araguaia, terceiro colocado, fez agradecimentos: “Obrigado a todos os envolvidos na história do festival”, disse. E a Melhor Intérprete, Jéssica Martins, agradeceu a banda que a acompanhou na apresentação. “Não existe Melhor Intérprete sem esses meninos que tocam comigo”, disse ela, que demonstrou estar surpresa por ter recebido a premiação.

As notas (de 1 a 10) dos finalistas do Fesc foram atribuídas por três jurados, todos eles de reconhecida competência no meio artístico: Gustavo Anitelli, produtor do grupo Teatro Mágico; o cantor e compositor Edvaldo Santana; e o músico Clemente Nascimento, das bandas de rock Plebe Rude e Inocentes. Os quesitos avaliados foram letra, melodia e arranjo.

O primeiro colocado da categoria Livre do Fesc recebeu R$ 5 mil em dinheiro, troféu e um CD autoral, que será gravado no Estúdio Público Musical de Suzano José Gonzaga Sobrinho. O segundo lugar ganhou R$ 3 mil e troféu; o terceiro, R$ 2 mil e troféu; e a Melhor Intérprete, R$ 500 e troféu.

O Fesc tem o objetivo de fomentar a produção cultural na área da música. O secretário municipal de Cultura, Walmir Pinto, fez um balanço positivo do festival, pela qualidade dos trabalhos apresentados e pelo público presente. “A continuidade do Fesc depende dos músicos e dos amantes da música. É uma parceria”, afirmou.

Confira as notas dos primeiros colocados na categoria Livre do 3º Festival da Canção de Suzano:

1º lugar: “Mãe Gentil”
Autor e intérprete: Gui Cardoso
Nota final: 29,0

2º lugar: “Amor em Cordel”
Autor: Guilherme Bandera
Intérprete: Grupo Jambra
Nota final: 27,60

3º lugar: “O Por do Sol”
Autor: Dinho Araguaia
Intérprete: Dinho Araguaia e Irmandade Africana
Nota final: 26,6

Fonte: Mayara Francine SECOM Secretaria de Comunicação de Suzano
Postagem: Magno Oliveira

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça um pouco mais sobre Carla Cristina Garcia ministrante da oficina cultural “A literatura e a moda: A estranha relação entre as palavras e o corpo”

No Café da Manhã com Poesia: Uma pequena crônica de uma manhã de domingo

Shows do Sampa Crew e Gabriel Corrêa fecham programação do aniversário de Poá